Octo Pramac Yakhnich

Com Danilo Petrucci e Scott Redding, a Pramac promete um bom ano em 2016. O italiano já mostrou boas performances no ano passado, enquanto o britânico se adaptou rapidamente ao equipamento Ducati

Nathalia De Vivo, de São Paulo

Um ano de mudanças dentro da equipe, a começar pela chegada de Scott Redding para formar dupla com Danilo Petrucci no lugar de Yonny Hernández.

O time holandês ainda contará com uma nova parceria de peso, com a russa Yakhnich, que promete trazer bons resultados para toda a equipe. Os competidores, ainda, irão pilotar as motos nas mesmas especificações usadas por Andrea Iannone e Andrea Dovizioso na temporada passada.

Sede: Amsterdã, Holanda
Moto: Ducati GP15
Principais dirigentes: Paolo Campinoti, Francesco Guidotti e Felix Rodriguez
Em 2015: 6ª no Mundial de Equipes
Melhor resultado: 6ª no Mundial de Equipes em 2007, 2011, 2014 e 2015
Melhor tempo em Sepang:  2min00s095 (Danilo Petrucci, 1º)
Melhor tempo em Phillip Island:  1min29s922 (Scott Redding, 11º)
Melhor tempo em Losail: 1min55s326 (Scott Redding, 2º)

#45 Scott Redding

 

Nascimento: 4 de janeiro de 1993 – Gloucester, Inglaterra (23 anos)
36 GPs
165 pontos
Melhor resultado: um terceiro lugar
Em 2015: 13º no Mundial de Pilotos

Depois de sofrer com a RC213V, Scott Redding busca um recomeço na Pramac. Substituto de Yonny Hernández, o britânico de 23 anos vê no protótipo Ducati da equipe uma chance de melhorar seus resultados e já conquistou a confiança dos executivos da Ducati.

Coordenador da fábrica de Borgo Panigale, Davide Tardozzi já mostrou otimismo com o novo piloto, que se adaptou rapidamente à Desmosedici. Nos primeiros testes coletivos realizados após o fim da temporada, chegou a ser o mais veloz em Sepang.

#9 Danilo Petrucci

 

Nascimento: 24 de outubro de 1990 – Terni, Itália (25 anos)
68 GPs
183 pontos
Melhor resultado: um segundo lugar
Em 2015: 10º no Mundial de Pilotos

O italiano de sorriso fácil foi um dos destaques da temporada 2015. Depois de um desempenho memorável em Silverstone — quando recebeu a bandeirada em segundo, atrás de Valentino Rossi —, o italiano vai para 2016 cheio de moral, mas com um revés que pode atrapalhar seu desempenho.

Na segunda bateria de testes da pré-temporada, disputada em Phillip Island, Danilo levou um tombo, fraturou a mão e precisou de uma cirurgia.

Por conta do acidente, Petrucci, que mostrou bom ritmo na fase de treinos, não esteve no teste de Losail, mas promete estar na pista para o GP do Catar.