Avintia Racing

Correndo com um protótipo Ducati desatualizado, a Avintia tem sua maior força na dupla de pilotos. Mais experiente do time, Héctor Barberá foi muitíssimo bem na pré-temporada

Juliana Tesser, de São Paulo

A Avintia conquistou seu melhor resultado no Mundial de Equipes no ano passado e parte para 2016 em busca de uma nova evolução. Nesse caminho, o time segue com Héctor Barberá, mas celebra a chegada de Loris Baz, que se juntou à escuderia após a saída da Forward no Mundial.

O espanhol, apesar da fama de mau, já mostrou qualidade e repetiu o feito na pré-temporada, quando fechou a bateria de Sepang com o terceiro posto. O francês, por sua vez, chegou à MotoGP no ano passado vindo do Mundial de Superbike e já tem no currículo um impressionante quarto lugar no GP de San Marino.

Sede: Madri, Espanha
Moto: Ducati Desmosedici GP14.2
Principais dirigentes: Antonio Jiménez e Agustín Escobar
Em 2015: Nona no Mundial de Equipes
Melhor resultado: Nona colocada no Mundial de Equipes em 2015
Melhor tempo em Sepang: 2min00s387 (Héctor Barberá, 3º)
Melhor tempo em Phillip Island: 1min29s361 (Héctor Barberá, 5º)
Melhor tempo em Losail: 1min55s733 (Héctor Barberá, 9º)
 

#8 Héctor Barberá

 

Nascimento: 2 de novembro de 1986 – Dos Aguas, Espanha (29 anos)
103 GPs
349 pontos
Melhor resultado: 11º colocado em 2011 e 2012
Em 2015: 15º no Mundial de Pilotos

 
Héctor Barberá não é o piloto de melhor reputação no Mundial, afinal, já foi acusado de agredir a namorada e também detido por dirigir embriagado. No lado profissional, entretanto, a fama de mau fica de fora e o espanhol já mostrou que sabe bem o que faz.

Ao longo da pré-temporada, o #8 mostrou uma excelente performance, rodando sempre no top-10 e, em Sepang, fechando a bateria com um terceiro tempo.

Correndo com um protótipo defasado da Ducati, Barberá terá dificuldade para fazer frente as pilotos de fábricas, mas certamente pode lutar para superar sua melhor posição no Mundial.

#76 Loris Baz 

 

Nascimento: 1 de fevereiro de 1993 – Sallanches, França (23 anos)
17 GPs
28 pontos
Melhor resultado: 17º colocado em 2015
Em 2015: 17º no Mundial de Pilotos 

Loris Baz chegou ao Mundial de Motovelocidade com uma boa imagem. A reputação do piloto, entretanto, não era pela performance no Mundial de Superbike, mas por ter ignorado uma ordem de equipe da Kawasaki para ceder sua posição a Tom Sykes na final do campeonato. É justo dizer que o britânico não teria sido campeão mesmo que o companheiro de equipe tivesse seguido a orientação da marca nipônica.

No ano passado, Loris, que é o piloto mais alto do grid, não teve uma temporada das mais impressionantes, mas conseguiu um quarto lugar no GP de San Marino e da Riviera de Rimini com uma atuação impecável. 

Assim como Barberá, o francês terá dificuldades com uma moto desatualizada da Ducati, mas superar o companheiro de equipe por si só já será um grande desafio.