Castroneves e o sonho da quarta Indy 500

Helio Castroneves parte para mais um ano de Indy mantendo o discurso de brigar pelo título inédito. No entanto, o veterano brasileiro deixa claro o desejo maior de buscar a quarta vitória na Indy 500

Gabriel Curty, de São Paulo

Helio Castroneves é um dos nomes mais conhecidos e mais vitoriosos do grid da Indy. Veterano de 41 anos, o brasileiro é sempre um dos favoritos tanto ao triunfo na Indy 500 quanto ao título da categoria.
 
Em entrevista para o GRANDE PREMIUM, às vésperas do início de sua 20ª temporada na Indy, o piloto falou que vai precisar vencer regularmente para sonhar com o título e escancarou o grande desejo de buscar a quarta vitória nas 500 Milhas de Indianápolis.
 
Helio comentou que espera um campeonato bem equilibrado, ainda que a Penske, mais uma vez, surja como grande favorita ao posto de principal força da categoria.
 
“Espero uma temporada muito disputada e acredito que, dentro do nosso time, vai ser ainda mais acirrada. Tenho muita convicção que, mais uma vez, teremos a Penske dominando a categoria”, disse.
Helio Castroneves vai para mais um ano de Indy
IndyCar
Sem vencer uma corrida desde o GP de Detroit de 2014, Castroneves deixou claro que voltar ao topo do pódio é fundamental para se ter possibilidades no campeonato e que, por isso, vencer é uma meta indiscutível para 2017.
 
“Óbvio que a constância ajuda a manter chances no campeonato, mas temos que ganhar corrida para termos essas chances. E é justamente isso que eu vou buscar, vamos arriscar por vitórias”, seguiu.
 
Vencedor em 2001, 2002 e 2009, Helio segue sonhando com o quarto triunfo no IMS. E este seria histórico, já que o transformaria no piloto mais vitorioso do oval sagrado da Indy, ao lado das lendas já aposentadas AJ Foyt, Al Unser Sr. e Rick Mears.
 
“Vencer corrida é um objetivo, mas levar a quarta Indy 500 é outro ainda mais importante”, ressaltou o piloto.
 
Helio quer voltar ao topo do pódio na temporada 2017
IndyCar

Deixando de lado qualquer dúvida sobre a interferência da idade no rendimento, Helio cravou que tem todas as condições para disputar novamente o título da Indy.

“Claro que me imagino brigando pelo título! Sem dúvida nenhuma estou mais do que 100% motivado, preparado e pronto para a briga”, afirmou.

Grande rival da Penske, a Ganassi resolveu depositar suas fichas em uma troca de fornecedora, apostando na parceria com a Honda. Castroneves acredita que a equipe é maior do que as limitações dos japoneses e que essa relação ainda pode abrir brechas para a evolução da Andretti e, até mesmo, da Dale Coyne.
 
“Uma equipe com o calibre da Ganassi sempre vai superar qualquer situação e, no caso do acordo com a Honda, acredito que não vai ser diferente. A Andretti pode se favorecer com algumas informações paralelas da Ganassi. E, espero estar errado, mas o Bourdais com a Dale Coyne é um grande candidato a azarão da temporada”, opinou.
Helio Castroneves não descarta uma equipe como a Ganassi
IndyCar
Para 2017, a Penske continua com um quarteto fortíssimo, mas sofre uma alteração em seu quadro de pilotos. A experiência de Juan Pablo Montoya dará lugar à juventude de Josef Newgarden. Segundo Castroneves, a troca acabou sendo boa para todos, já que o colombiano vai guiar o quinto carro do time em Indianápolis.
 
“O Newgarden tem provado que vem crescendo na categoria de uma maneira segura e com competência, é muito natural a Penske ver isso como chance para o futuro. Mesmo com essa troca, ainda tem o Juan andando na Indy 500, então foi uma situação que acabou ficando boa para todos”, comentou.
 
Por fim, Helio tratou de rejeitar as expectativas de uma temporada morna, já que a Indy estará em transição para, em 2018, ter os kits aerodinâmicos universais.
 
“Não acho que a temporada será pior pelo congelamento dos kits. Vai acontecer o contrário, justamente por todas as equipes não terem muitas opções de desenvolvimento. Isso vai tornar o campeonato mais competitivo”, completou.
O sonho de Helio Castroneves é colocar mais um dedo nessa mão vitoriosa no IMS
IndyCar