Parem de subestimar Ricciardo

A simpatia de Daniel Ricciardo é impressionante, sim, mas não mais do que o talento que demonstra desde que chegou à Red Bull. Com vitórias em três dos quatro últimos anos, Ricciardo se prova um dos grandes da atual F1

Pedro Henrique Marum, do Rio de Janeiro

Não é qualquer absurdo afirmar que Daniel Ricciardo é o piloto mais subestimado da F1. Mesmo no quarto ano de Red Bull e coletando vitórias e bons resultados, Ricciardo ainda é negligenciado quando listam os melhores pilotos da categoria ou os candidatos a futuros campeões do mundo. Com a melhor sequência de pódios em 2017, ele mais uma vez se mostra força divisora numa disputa que não é dele.

Se nos quatro anos anteriores à chegada dele na Red Bull o time austríaco teve carros campeões - todos aproveitados devidamente por Sebastian Vettel -, nos quatros em que nele esteve não teve a mesma sorte. Mesmo assim, foi capaz de vencer ao menos uma corrida em três deles.

Quer comprar produtos Red Bull com a excelência da Puma? Então venha aqui agora. 
Daniel Ricciardo
Red Bull Content Pool

Foram três vitórias no ano em que subiu da Toro Rosso, 2014. Naquele ano, superou Vettel na disputa interna e foi o único piloto fora da Mercedes a vencer corridas. Se o carro de 2015 foi o pior de todos que teve e terminou o ano com menos pontos até que Daniil Kvyat, o novo companheiro, 2016 e 2017 mostraram uma nova face. Ricciardo saiu de um Vettel que parecia derrotado e da alta insatisfação dos anos anteriores para guiar um bom carro contra um rival feroz: Max Verstappen.

Devia ter ganho mais que apenas o GP da Malásia em 2016 - o que não aconteceu por conta do erro da Red Bull que custou a vitória em Mônaco. Terminou na frente do jovem holandês no fim das contas. E, em 2017, o duelo entre os dois anda desigual. Ricciardo já subiu ao lugar mais alto do pódio, no Azerbaijão, e marcou 117 pontos contra 67 do companheiro.

Mesmo com uma Red Bull evidentemente abaixo de Mercedes e Ferrari, Ricciardo emendou cinco pódios seguidos entre os GPs de Espanha e Áustria. A maior sequência da carreira e mais extensa da F1 no ano ao lado da atual de Valtteri Bottas. As exibições recentes fizeram com que tenha entrado nas férias em quarto lugar no Mundial de Pilotos. À frente de Kimi Räikkönen, por exemplo.

Feliz shoey
Red Bull Content Pool

É Ricciardo quem tem desequilibrado o Mundial de Construtores em favor da Mercedes contra a Ferrari apesar de Vettel liderar o campeonato. O australiano é o fator de desequilíbrio num ano brigado: sempre aparece para capitalizar as oportunidades que os donos dos quatro principais carros do grid acabam perdendo.

Em Ricciardo há muita simpatia, sim. Mas há, sobretudo, um talento que o coloca entre os maiores nomes da F1 no presente e para o futuro próximo. É prudente que parem de subestimar as habilidades do piloto australiano.

Respeite Ricciardo
Red Bull Content Pool