Férias na liderança

A primeira parte da temporada da F1 terminou com a prova certa para a Ferrari dar uma sobrevida a Sebastian Vettel na liderança. O tetracampeão fez o que dava até aqui

Pedro Henrique Marum, do Rio de Janeiro

A F1 chegou às férias de verão. É verdade que o ritmo demonstrado recentemente indicava uma vantagem da Mercedes após o início de temporada com uma frente pequena da Ferrari. Mas a última etapa antes da paralisação do Mundial por um mês indicou o comportamento de Sebastian Vettel e da equipe para proteger a liderança da primeira parte da temporada.

O tetracampeão mundial da F1 foi o mais rápido do fim de semana. Cravou a pole-position, largou na frente e venceu de ponta a ponta. Precisou, para isso, de um trabalho em conjunto. A rival Mercedes fez com que Lewis Hamilton trocasse de posição com Valtteri Bottas para atacar as Ferrari. E, é verdade, até aconteceu. Kimi Räikkönen, no entanto, segurou Hamilton e protegeu Vettel.

Foi um retorno de Vettel às vitórias. Após vencer três das primeiras seis etapas, o alemão passou quatro provas seguintes sem ganhar - e fora do pódio em três delas. Nestas provas, triunfos de Hamilton duas vezes, Valtteri Bottas e, numa situação atípica, da Red Bull de Daniel Ricciardo.

Vettel voltou a vencer
Ferrari

Não por acaso, Mônaco havia sido palco da última vitória ferrarista - e com dobradinha. O alto donwforce empregado em Monte Carlo só se assemelha a outras duas pistas do calendário: uma é a de Marina Bay, casa do GP de Singapura, e a outra é exatamente Hungaroring. Estas três etapas, mais do que qualquer outra, são os locais de ampla vantagem da marca do Cavallino Rampante.

“Mais uma vez, isso demonstrou a força de caráter da Ferrari", falou logo após a corrida o chefe da Ferrari, Maurizio Arrivabene. "Parabéns aos rapazes aqui e em Maranello, trabalhando juntos no que é marca de um grande time. Vettel fez uma corrida magnífica, conseguindo manter a liderança apesar de um problema com a direção”, elogiou. “Ele foi ajudado por uma grande performance de Kimi, que demonstrou não só que é um campeão, mas também que é um verdadeiro jogador de equipe”, exaltou.

Gosta dos produtos Ferrari com a excelência da PUMA? Vem dar uma olhada de perto. 
O top-3 do GP da Hungria
Ferrari

Embora a Mercedes vá com vantagem de ritmo para as férias de verão nas pistas que não são Mônaco, Hungria e Singapura, o mês de férias dá aos italianos a condição de trabalhar para voltar a equiparar as forças no resto dos tipos de traçado.

O mais importante neste momento é que a Ferrari conseguiu que Vettel fosse curtir as férias com a liderança. São 202 pontos e uma vantagem de 14 para Hamilton e 32 para Bottas. 

Após dois pódios seguidos, Räikkönen também vai descansar em uma certa alta. Ainda segue apenas no quinto lugar do Mundial de Pilotos, mas um ponto apenas atrás de Ricciardo. Räikkönen não vai e nem pretende entrar na briga pelo título, mas precisa crescer para devolver a Ferrari à briga do Mundial de Construtores. Neste momento, a Mercedes lidera por 39 pontos - diferença reversível apenas com a ajuda de Kimi.

Por enquanto, será isso. O GP da Bélgica é a próxima para do calendário, apenas depois das férias, no fim de semana dos dias 25 a 27 de agosto.