A saída do touro

O fim do ciclo da Red Bull promove uma série de mudanças na Stock Car, com a saída de Cacá Bueno da equipe de Andreas Mattheis, que segue viva em 2017 e corre com um novo patrocínio

Fernando Silva, de Sumaré,
Pedro Henrique Marum, do Rio de Janeiro &
Vitor Fazio, de Porto Alegre

Dias depois de Felipe Massa anunciar sua aposentadoria da F1 ao fim da temporada 2016, o automobilismo brasileiro sofreu outro duro golpe. A saída da Red Bull do grid da Stock Car representa o fim de um ciclo vitorioso, marcado por cinco títulos, 27 vitórias, 27 poles e muitas glórias. Claro, não foi uma decisão tomada do dia para noite, já que vários fatores — crise econômica, mudança de filosofia e planos, e a própria situação do automobilismo como um todo — determinaram o desfecho da saga taurina nas pistas do Brasil e que, na esteira disso, vai promover uma série de mudanças relevantes na categoria nacional.

Para entender motivos que justifiquem a saída da Red Bull do grid, é preciso voltar um pouco no tempo. Não tão longe assim. A equipe taurina entrou várias vezes em rota de colisão com CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) em razão de decisões controversas por parte da entidade.

Em 2011, Cacá Bueno e Daniel Serra foram punidos em Campo Grande por excesso de velocidade nos boxes. A equipe rebateu e afirmou que “a gestão desportiva fora das pistas, realizada pela CBA, não está à altura do alto nível de profissionalismo dos pilotos e equipes que participam das competições no Brasil”. Na etapa seguinte, em Jacarepaguá, Cacá e Serrinha correram ‘de luto’, com os carros pintados de preto.

No ano passado, nova polêmica: Cacá esbravejou contra uma comissária da CBA depois de ter vencido a corrida 1 da etapa de Ribeirão Preto, em abril. No entanto, o carioca não recebeu a bandeira quadriculada e, estranhando a ausência de sinalização na pista na volta de desaceleração, continuou andando rápido e se defendendo dos ataques de Marcos Gomes, segundo colocado. A situação deixou o pentacampeão indignado e, em conversa com a Red Bull via rádio, disparou contra “os imbecis da CBA”. A conversa foi captada e exibida na transmissão da TV.

Pelo ocorrido, Cacá foi suspenso da rodada dupla de Curitiba, levando a Red Bull a substituí-lo por Laurens Vanthoor. Mas o prejuízo, em meio a um campeonato tão equilibrado, foi muito grande. A diferença entre o campeão — com todos os méritos, diga-se —, Marcos Gomes, para Cacá, foi de 30 pontos, o que seria fatalmente reduzido caso o pentacampeão tivesse corrido em Curitiba naquela etapa em que cumpriu suspensão.

Quer ler esta matéria na íntegra?