Os momentos marcantes de Räikkönen na F1

Com jeito sério e irreverente ao mesmo tempo, Kimi Räikkönen sempre foi um piloto que chamou a atenção na F1, seja por bons resultados nas corridas, seja por respostas secas e diretas

Nathalia De Vivo, de São Paulo

Com seu jeito irreverente, sério e bastante direto, Kimi Räikkönen sempre foi um piloto que chamou a atenção no paddock da F1. Seja pelo desempenho que apresentou durante as corridas ou por situações inusitadas que protagonizou, o 'Homem de Gelo' se tornou um verdadeiro personagem para a categoria. Exemplos é o que não faltam para justificar os inúmeros fãs que conquistou ao longo dos anos, e o mais recente foi sua explosão no rádio durante o GP do Azerbaijão ao pedir para a equipe o seu volante.


O GRANDE PREMIUM, então, reuniu dez dos momentos mais marcantes do finlandês na categoria.

 

O drama do volante

O episódio mais recente de que Räikkönen é o personagem da F1 aconteceu no GP do Azerbaijão deste ano. A prova não estava sendo a mais positiva para o finlandês, pois ele havia abandonado após um incidente na largada. No entanto, durante o longo período de bandeira vermelha, a Ferrari conseguiu reparar o seu carro para mandá-lo de volta para a pista, e foi quando o drama aconteceu.

Ele começou a pedir pelo rádio o seu volante, mas ninguém parecia ouvir a mensagem. Em um momento de falta de paciência, começou a gritar com o time italiano até que, enfim, alguém lhe entregou o que pedia.


O menino Thomas

O GP da Espanha deste ano teve um dos momentos mais fofos da F1. Pouco depois da largada, Kimi Räikkönen abandonou a corrida após um choque com Max Verstappen. O que o finlandês não sabia é que na arquibancada havia uma torcida bastante especial para ele, a do menino francês Thomas, de apenas 6 anos, que caiu no choro após o acidente do ídolo.

Mas em incrível momento de sensibilidade, a Ferrari convidou a criança para conhecer de perto o piloto, proporcionando uma linda cena para a história da categoria. 
 

A liderança misteriosa de Bottas

Na atual temporada Kimi Räikkönen segue chamando a atenção, nem tanto por seu desempenho na pista. Durante o GP da Rússia deste ano, em determinado momento a Ferrari falou com ele pelo rádio, informando que estava atrás de Valtteri Bottas. Confuso, o piloto do carro #7 questionou como aquilo havia acontecido. Simples, o seu conterrâneo era o líder da corrida desde a largada, fato que era desconhecido por ele.

 

Caminho alternativo

Durante o GP do Brasil de 2012 o finlandês protagonizou uma cena no mínimo inusitada. Após derrapar no molhado asfalto de Interlagos na volta 52 e escapar da pista, o competidor seguiu por um caminho que ele acreditava que daria na reta principal do circuito. No entanto, um pouco mais para frente viu que a rota alternativa estava fechada e ele teve de dar a volta e pilotar pela grama para voltar para o traçado. Ele terminaria aquela prova em décimo, tornando-se o único piloto a concluir todas as corridas da temporada.

 

O famoso rádio em Abu Dhabi

Em 2012 Kimi Räikkönen ainda defendia as cores da Lotus. No GP de Abu Dhabi daquele ano, o finlandês caminhava para sua primeira vitória em três anos. Em meio a tanta tensão, a equipe ficava constantemente conversando com o piloto pelo rádio dando conselhos e informando as condições dos pneus.

Já de saco cheio dos lembretes, ele soltou uma de suas mais famosas frases: “Leave me alone, I know what I’m doing”, ou em tradução livre “me deixe em paz, eu sei o que estou fazendo”. Depois de mais uma mensagem 'atravessada', Kimi mostrou que estava mesmo fazendo o certo. E venceu em Yas Marina.

A pré-cerimônia do GP do Brasil

No GP do Brasil de 2006, Pelé participou de uma cerimônia antes da largada para a prova. Na época, o ex-jogador de futebol fez um discurso para Michael Schumacher, que disputava o título contra Fernando Alonso e marcava a última corrida do alemão na F1. Kimi, no entanto, perdeu o evento, e quando questionado pelo entrevistador Martin Brundle o motivo, sua resposta não poderia ser mais humana: “I was having a shit”, ou no bom português: “Eu estava cagando”.

 

Abandono em Mônaco

Normalmente, quando um piloto abandona a corrida, acaba passando pelo paddock de cabeça baixa e com poucas palavras. Mas é claro, Räikkönen não é como seus colegas. Durante o GP de Mônaco de 2006, o piloto disputava uma posição com Fernando Alonso quando seu carro apresentou problemas e ele parou ao lado do traçado. Obviamente que ali chegava o fim de sua corrida, mas ele não iria direto para os boxes. Pouco tempo depois, as câmeras da transmissão flagraram o finlandês em um iate já sem camiseta e bebendo com seus amigos.

Kimi vai para seu iate após abandono
Reprodução


O título improvável

O ano de 2007 foi certamente o mais marcante de Räikkönen na F1. O piloto chegou ao GP do Brasil, último do campeonato, na terceira colocação da classificação, mas todos os olhos estavam voltados para a briga entre Fernando Alonso e Lewis Hamilton. Para a prova, o finlandês classificou-se em terceiro, entre as McLarens e com o companheiro Felipe Massa na pole.

Durante a segunda janela de pit-stops, Kimi pulou para a liderança da corrida, ficando na ponta até a bandeirada final. Alonso chegou em terceiro e Hamilton precisava terminar em quinto para conquistar o título. No entanto, o inglês foi apenas o sétimo, resultando em Räikkönen como campeão daquele ano. 
 

A grande corrida em Suzuka

O GP de Suzuka de 2005 exibiu um dos melhores desempenhos de Kimi na F1 até hoje. A classificação aconteceu com chuva, então o grid se misturou e o titular da McLaren largaria apenas em 17º, atrás de Fernando Alonso. Na parte inicial da corrida chegou a ganhar terreno, mas a briga pela primeira posição aconteceu apenas nos giros finais.

Com o espanhol preso atrás de pilotos mais lentos, Kimi tratou de dar voltas rápidas e logo parou para aparecer 5s atrás do líder Giancarlo Fisichella. Então, ele se aproximou do italiano e, em uma grande ultrapassagem por fora na curva 1 da última volta, garantiu a vitória da corrida.

A ultrapassagem de Kimi em cima de Fisichella
Reprodução

A primeira vitória

Kimi Räikkönen fez sua estreia na F1 em 2001 pela Sauber, mas sua primeira vitória viria apenas dois anos mais tarde, quando já corria pela McLaren. A corrida era o GP da Malásia e apesar de uma classificação não tão positiva, onde conquistaria apenas a sétima posição, aquilo não seria problema. Nas primeiras voltas o finlandês já aparecia nas posições da ponta, e com o abandono de David Coulthard era o segundo, 5s atrás de Fernando Alonso.

Foi quando a estratégia andou ao seu lado e, ficando cinco giros a mais na pista do que o espanhol, o piloto encaixou uma série de voltas rápidas consecutivas para tomar a liderança do pelotão e cruzar a linha de chegada com uma vantagem de 39s para o restante dos pilotos.

Räikkönen comemora sua primeira vitória na F1
Reprodução