Melhores pilotos brasileiros da década de 2010

O 10+ aproveita o título de Lucas Di Grassi na terceira temporada da F-E para listar os brasileiros que mais se destacaram até aqui na década de 2010

Gabriel Curty, de São Paulo


O automobilismo brasileiro passa por um momento complicado, especialmente no que diz respeito a sua renovação, mas isso não significa que o país não tenha tido seus bons momentos na década de 2010 em diversas categorias importantes.
 
Aproveitando o título de Lucas Di Grassi na terceira temporada da F-E, o GRANDE PREMIUM reuniu seus jornalistas para escolher os dez melhores pilotos brasileiros da década de 2010 até o momento.
 
Foram citados pilotos de destaque na F1, na Indy, no Mundial de Endurance, na Stock Car, no DTM, além, é claro, da F-E, que viu, em três temporadas, um título de Di Grassi e outro de Nelsinho Piquet.
Augusto Farfus fez boas temporadas no DTM
DTM

10- AUGUSTO FARFUS

 

Augusto Farfus é um dos bons pilotos brasileiros espalhados e esquecidos pelo mundo. Atualmente com 33 anos, o curitibano é um nome consolidado no DTM e teve, em 2013, seu grande momento, quando venceu três corridas e fechou a temporada do campeonato alemão de turismo com o vice-campeonato.

O desempenho de Farfus no DTM caiu, é verdade, nas últimas temporadas. Em 2017, por exemplo, o paranaense só anotou seis pontos até aqui, mas segue bem em outros eventos como as 24 Horas de Daytona, prova em que foi segundo colocado na classe GTLM e quinto no geral em 2015.

9- CACÁ BUENO

 

Cacá Bueno já não tem o mesmo domínio que tinha na Stock Car alguns anos atrás, mas segue muito regular e é o único piloto que venceu dois títulos da categoria na década - 2011 e 2012. O carioca de 41 anos, agora na Cimed, ainda pode ser considerado o principal nome do automobilismo nacional nos últimos anos.

A década de 2010 ainda teve Cacá tendo a sorte no exterior e conquistando alguns bons resultados. Na equipe brasileira do Mundial de GT, o fluminense teve quatro pódios em 2014 na classe Sprint e fechou o campeonato em sexto. Já no WTCC, fez apenas um final de semana 2011 e buscou um pódio na corrida 1 em Curitiba.


8- CHRISTIAN FITTIPALDI

 

Christian Fittipaldi é um dos melhores pilotos brasileiros que correm nos EUA. O paulista de 46 anos está totalmente adaptado ao automobilismo americano e isso não é de hoje. Depois de bons anos na Indy, Christian virou um dos principais nomes no sportscar, levando os títulos de 2014 e 2015, além do vice em 2016.

Além disso, Fittipaldi ainda tem um rendimento de destaque nas provas grandes. O desempenho do piloto nas 24 Horas de Daytona prova isso: quatro pódios na década e uma vitória em 2014 ao lado de João Barbosa e Sébastien Bourdais.

Christian Fittipaldi é um cara que está sempre vencendo
IMSA

7- PIPO DERANI

 
 
Falamos na falta de renovação, mas Pipo Derani é um cara que foge bastante disso. Com apenas 23 anos, o paulista é um dos melhores nomes do automobilismo brasileiro no momento. Pipo, que como a maioria dos pilotos tentou a sorte nos monopostos, se encontrou totalmente no endurance, tanto nos protótipos, quanto nos GTs.
 
Vale dizer que os resultados de Derani na F3 Europeia e na Pro Mazda nem foram tão ruins assim, mas o jovem piloto resolveu mudar drasticamente de rumo e começou a achar seu espaço no WEC e nos sportscars americanos. Daí para frente, teve vitória nas 6 Horas de Silverstone, nas 6 Horas de Spa, nas 24 Horas de Daytona e nas 12 Horas de Sebring. Hoje, é possível dizer que Pipo é o futuro do automobilismo brasileiro.

6- RUBENS BARRICHELLO

 
 
É clichê dizer isso, mas Rubens Barrichello está mesmo com 45 anos com a disposição de um garoto. Só na década de 2010, o brasileiro já passou pela F1, pela Indy, pela Stock Car, pelo WEC, pelo United SportsCar, por Mundial de Kart... No geral, Rubens conseguiu guiar bem tudo que pegou.
 
Barrichello começou a década de 2010 se despedindo da F1 em uma capenga Williams. Na sequência, tentou a sorte na Indy, mas esbarrou nas limitações da KV e pouco fez. Na Stock Car, porém, se encontrou: foi campeão logo em sua segunda temporada, a de 2014. Até hoje, o paulista segue buscando coisas novas e a participação nas 24 Horas de Le Mans de 2017 é a prova disso.


5- TONY KANAAN

 
 
A fase atual de Tony Kanaan não é das melhores, mas o americano certamente merece estar no top-5 dos últimos anos. Apesar de temporadas irregulares na Indy, o baiano de 42 anos venceu sua primeira Indy 500 em 2013 com a modesta KV e, dois anos mais tarde, foi buscar o triunfo nas 24 Horas de Daytona, duas das principais provas dos EUA.
 
Tony só não está em uma colocação melhor pelos resultados mais recentes na categoria americana de monopostos. Na Ganassi desde 2014, Kanaan só conseguiu vencer em Fontana, logo no seu primeiro ano com a tradicional equipe. Merece créditos por seguir firme e frequentando o pódio mesmo sendo um dos mais veteranos.
Tony Kanaan venceu uma Indy 500 com a modesta KV
IndyCar

4- FELIPE MASSA

 

Já faz tempo que o Brasil corre riscos de ficar sem nenhum piloto no grid da F1 pela primeira vez em muito tempo, mas sempre está lá Felipe Massa para evitar que isso aconteça. O brasileiro está no auge? Não, mas segue competitivo e capaz de grandes atuações como foi em Baku semanas atrás, quando teve chances reais de vencer a corrida.
 
Felipe completou recentemente 36 anos e é um dos pilotos mais marcantes do grid da F1. Nos últimos anos, não brigou por títulos e sequer venceu na década, mas está sempre lá e foi peça fundamental na reconstrução da Williams em 2014, conquistando pódios e cravando até uma pole na Áustria em 2014.

3- HELIO CASTRONEVES

 

Helio Castroneves é o cara da regularidade. É impressionante como o paulista de 42 anos está sempre brigando pelo título da Indy. O caneco ainda não veio, mas isso não apaga o brilho das cinco últimas temporadas dentro do top-5 e de um 2017 que promete, novamente, ser de luta pela taça até a prova final.
 
Um dos recordistas de poles da história da Indy, Helio passou por um longo período de seca de vitórias, mas isso acabou em uma atuação de gala do piloto de Ribeirão Preto no oval de Iowa. Em 2017, Helio pegou top-10 em impressionantes 12 das 13 corridas realizadas.

2- NELSINHO PIQUET

 
Poucos pilotos no mundo apareceram em tantas categorias diferentes quanto Nelsinho Piquet na década de 2010. Após deixar a F1 da pior forma possível, o brasilero se reinventou e foi um daqueles que descobriram que existe, sim, vida fora da maior categoria do automobilismo mundial.
 
Nelsinho teve um dos grandes momentos do automobilismo brasileiro na década. Em 2015, bateu Sébastien Buemi e o compatriota e rival Lucas Di Grassi para se tornar o grande campeão da primeira temporada da história da F-E. Entre as outras categorias que Piquet se aventurou, o grande destaque é a Nascar. Nelsinho fez um campeonato completo na Truck Series e fechou em sétimo com duas vitórias. Depois, partiu para a Xfinity, também venceu corrida e foi 12º quando correu a temporada toda. Para quem não tinha experiência alguma, desempenho bem satisfatório.Teve ainda um pódio em Le Mans que escorreu pelo ralo em uma desclassificação, pole na rodada dupla da Indy Lights em Toronto que resolveu fazer...

1- LUCAS DI GRASSI

 
Lucas Di Grassi soube como poucos encontrar a felicidade longe da F1. Um dos pilotos mais inteligentes do mundo, o paulista foi para o WEC e exerceu papel fundamental na criação da F-E, hoje um dos campeonatos mais importantes do automobilismo. Sempre impressionantemente regular, faltava a Lucas um título grande.
 
E esse momento chegou de forma até inesperada. O brasileiro, que brigou pelo caneco nas três temporadas da F-E, o conquistou em uma situação que parecia totalmente adversa. Com menos carro e menos pontos que Sébastien Buemi na última etapa do campeonato, Di Grassi cresceu na hora certa, viu o rival sucumbir e saiu do 'quase'. Agora, o tão regular Lucas também tem um grande título para chamar de seu.